Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Outra Face da Lua

A Outra Face da Lua

12
Mai18

Visão para a Vida

ipgines

Há uns anos atrás deixei (ou assim pensei) de fazer planos para a minha vida e fui fazendo o que me foi aparecendo à frente sem pensar muito no assunto.

Quando consegui um pouco de estabilidade, tudo mudou. Tornei-me possessiva em relação à minha vida. Parece normal, não é? Se a vida é minha, tenho de apossá-la...

Além de controlar a minha vida, queria controlar eventos exteriores a mim e o que outros faziam e a forma como me influenciavam. No momento em que consegui fazer um plano minimamente decente e exequível, perdi a cabeça. A minha depressão acentuou-se e afastei-me de tudo e todos, larguei um emprego e uma equipa que me davam estabilidade a médio prazo e fugi para um que ainda me prejudicou mais. E daqui foi um tombo a cada passo que dei na minha vida. E quanto mais perdia o controlo do que se passava e de como me sentia, mais aferradamente me agarrava a acontecimentos, pessoas e situações negativas porque achava que era por ali que a minha vida tinha de rumar.

Expectativas para a minha vida são muitas mas tenho medo de falhar. Nem sequer é medo de falhar os objectivos, é medo de falhar no caminho e ficar desapontada e perder o interesse nesses objectivos.

Portanto, neste momento, ando novamente ao sabor do vento, apesar de não estar totalmente satisfeita. Não estou a ser capaz de definir nem objectivos nem um caminho nem perceber o que realmente (e se realmente) quero. Tenho muita dificuldade em focar-me na minha vida, a minha mente dispersa e foco-me no que não quero.

3 comentários

Comentar post