Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Outra Face da Lua

A Outra Face da Lua

19
Jan17

Só Um À Parte

ipgines

Para falar um pouco mais sobre mim e as razões porque decidi começar este blog.

 

Gostava, primeiro, de agradecer a quem o leia e convido-vos a comentar. Sejam experiências, opiniões ou desabafos. Volto a mencionar que a minha intenção é ajudar. Se pudesse, puxava da cama todos aqueles que vivem com depressão e fazia os possíveis para lhes melhorar a vida.

 

Depois de levar anos a sentir pena de mim e perceber como estou a prejudicar a minha vida e o meu futuro, estou a tentar mudar as minha atitudes e os meus hábitos.

 

Sempre gostei de escrever sobre os meus sentimentos embora seja bastante dificil descrever o que se sente com depressão moderada a grave. Escrevi diários diversas vezes mas por se tornar tão repetitivo e escrever sempre sobre o mesmo assunto e sempre nos meus momentos mais baixos, acabei sempre por parar. Comecei a interessar-me mais pela doença, participei de dois grupos de terapia cognitivo comportamental, pesquisei e li livros sobre pessoas que vivem ou viveram com a doença e comecei a procurar grupos de apoio. Dada à elevada procura destes grupos através do SNS do Reino Unido, as vagas são restritras e há uma lista de espera para garantir grupos pequenos e estes recebem apoio semanalmente por 1h30 durante 10 a 12 semanas. O nosso estado mental é avaliado semanalmente através de testes e, dependendo da gravidade de cada um, podemos ser chamados para fazer terapia individual. Que foi o meu caso, e rejeitei. Nesta altura estava a dose máxima de antidepressivos, que me tornaram numa pessoa totalmente diferente. Com tempo fui baixando a dose e neste momento estou em dose mínima para me dar clareza de mente e permitir trabalhar.

 

Estou contente com os efeitos que este espaço tem tido em mim. Costumo perder o interesse muito facilmente e o blog tem-me feito exercitar a mente e estou extremamente motivada em criá-lo e desenvolvê-lo mais.

 

Não me vou limitar a falar da doença e do que aprendi em terapias, mas das formas que tenho encontrado para me distrair e partilhá-las também.

 

(Todos os posts são escritos em "Português Antigo" porque não percebo nada do Acordo Ortográfico. Desculpem.)

6 comentários

Comentar post