Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Outra Face da Lua

A Outra Face da Lua

26
Dez17

O meu Top 5 (cont)

ipgines

Nestas 100 perguntas para o auto conhecimento, a pergunta anterior pedia-me para listar as 5 pessoas com quem mais passo tempo.

Como estou numa altura em que quase não vejo ninguém de forma consistente além da minha família, apenas identifiquei 3 pessoas com quem partilho o meu tempo, sendo essas 3 pessoas a minha família directa.

 

A pergunta de hoje está-lhe relacionada. Se essas mesmas pessoas me limitam ou me aceitam e auxiliam a evoluir.

Ora, sendo minha família directa, seria de acreditar que me auxiliam e que acreditam em mim. Mas não consigo deixar de, às vezes, sentir que o contrário acontece. Ainda que de uma forma não consciente nem intencional.

Os meus pais convenceram-se, há muito, de que são pobres. Não só porque não são abastados mas porque, também, foi-lhes incutida essa ideia na era pré 25 de Abril. É certo que ambos vêm de famílias numerosas que não tinham meios nem posses para tratar bem de todos os membros, mas, o que fazemos em adultos pode ir além destas crenças. Os meus pais sempre viveram a vida em função disto. Deixaram de fazer coisas novas porque "somos pobres e não podemos" quando, se calhar, até nem estão assim tão mal financeiramente.

Isto, para dizer que esta ideia foi-me transmitida na educação e, vivendo e passando mais tempo com eles, compreendo cada vez mais como viveram condicionados e como nós, filhos, continuamos este legado. Por isso acho que os meus pais, não por maldade, me limitam. Felizmente, tenho uma mentalidade diferente e gosto de achar que já tenho uma experiência que me faz viver de outra forma. Como, provavelmente, todas as gerações acham que aprendem com os pais e evitam cair nos mesmos erros.

3 comentários

Comentar post