Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Outra Face da Lua

A Outra Face da Lua

11
Mar18

Coisas da Linha de Cascais

ipgines

Tiro algum tempo da minha semana, sempre que posso, para cobrir gratuitamente algumas horas de uma loja comunitária no Centro Comercial Riviera em Carcavelos. Tudo o que temos à venda é doado, a maior parte das vezes usado e, muito raramente, novo.

Sendo uma zona mais nobre da localidade, os nossos clientes fazem parte das mais variadas "castas", desde algumas pseudo tias de Cascais com o vício das compras, a pessoas um pouco mais abastadas que ali passam para doar artigos para venda ou dinheiro, ao simples empregado de cozinha dos cafés que ali operam, às senhoras da limpeza e segurança do centro.

Um destes dias, logo pela manhã, passam à porta do nosso cantinho uma avó com o seu neto que não teria mais do que 7 anos.

A avó detém-se à frente da nossa porta num misto de sentimentos, sem saber se havia de entrar ou não.

 

Avó: oh Frederico, venha cá! Venha cá ver se há alguma coisa pra si nesta loja

Neto: (diz qualquer à miúdo mimado)

Avó: venha Frederico! Vamos ver.

 

Após uns minutos a tentar fazer com que o miúdo experimentasse um quispo e um par de ténis por entre fitas de menino de Cascais já com o seu corte de cabelo à surfista-justinbieber-betodecascais:

 

Avó: oh Frederico! Não me faça perder tempo...! Experimente lá os ténis.

Neto: Não!... Estas coisas são para pessoas das outras classes!

 

Tento sempre manter um ar cordial com as pessoas que ali entram e com eles não foi diferente. Para ser sincera, quando o miúdo disse isto, não percebi.

Só se fez luz quando segundos mais tarde a avó olha para mim com um ar "finge que está escandalizada" e dá uma falsa reprimenda ao miúdo.

1 comentário

Comentar post