Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Outra Face da Lua

A Outra Face da Lua

09
Abr18

Central de Crenças

ipgines

Quando se fala em crenças centrais, costuma ser num contexto mais negativo uma vez que só procuramos descobrir estas crenças quando as mais importantes, ou as que julgamos mais importantes e são, na realidade, mais impactantes, nos privam de viver de uma forma mais feliz.

As crenças centrais são desenvolvidas durante a nossa infância e são ideias inflexíveis e hipergeneralizadas que regem a nossa vida. Naquilo em que acreditamos forte e inconscientemente.

Nas minhas sessões de TCC em grupo, uma das ideias mais comuns era a de sermos incapazes. Com tempo e análise, apercebi-me de que as crenças de desamparo, desamor e desvalor estão presentes diariamente na forma como penso e ajo.

Hoje em dia a crença de desamparo tem uma tendência a decrescer, muito por causa do trabalho e por ter de lidar com esta questão todos os dias. Sempre fui muito dura comigo mesma e esqueço-me que é humano errar e que não é por isto que perco o meu valor como profissional. Nunca me achei muito eficiente no trabalho e nunca dei muita importância à necessidade de fazer pausas para descansar e que quem o faz é pouco profissional.

Por outro lado, as crenças do desamor e desvalor, sentir que não mereço ser valorizada nem amada e que sou uma pessoa tóxica são questões que ainda estão muito presentes.

A minha falta de sentido e rumo exacerba estas crenças.