Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Outra Face da Lua

A Outra Face da Lua

27
Set17

Aos Ansiosos Deste Mundo

ipgines

A ansiedade é algo que não podemos subestimar. Muita gente acha que pessoas ansiosas são preguiçosas, irresponsáveis ou passivas. Os seus sintomas variam de pessoa para pessoa tal como a forma como lidamos com esses mesmos sintomas. Há, com certeza, alguns que são mais comuns:

 

* rejeição de convites, embora lá no fundo queiramos ir. Desde que me lembro sou assim. Tenho consciência do porquê mas este afastamento impediu-me de construir uma vida social activa e saudável. Embora hoje em dia faça um esforço para combater o meu isolamento, ainda vou rejeitando aqui e ali alguns convites

 

* obsessão por coisas insignificantes que os outros nem reparam;

 

* adormecer tarde e acordar cedo. Preocupações tiram-nos o sono. Temos medo de fechar os olhos e adormecer porque a mente não se cala e dramatiza e o coração bate acelerado e não conseguimos dormir;

 

* os nossos pensamentos focam-se sempre no pior cenário possível para cada situação. Catastrofismo. Sofremos por antecipação;

 

* remoemos conversas e situações passadas vezes sem conta. O que poderíamos ter dito ou o que poderíamos ter feito. Deveríamos... Poderíamos... Seríamos... 

 

* se alguém não nos responde imediatamente, sentimos culpa. Com toda a certeza achamos que fizemos algo e que as pessoas não querem falar connosco ou que pura e simplesmente não somos importantes;

 

* sentimos um colapso mental quando o nosso futuro é mencionado. Eu revejo-me neste. Isto acontece-me todos os dias durante quase todo o dia. Não chego ao colapso mental diariamente mas já os senti bem fortes e destrutivos;

 

* comparações com pessoas da nossa idade. Acho que toda a gente passa por isto. Há sempre comparações com os nossos colegas de escola. Para mim, este ponto está muito ligado ao anterior;

 

* obsessão pelos nossos erros. Esta é também uma das minhas maiores falhas. Não sou capaz de aceitar os meus erros como normais. Isto impede-me de aprender com eles e continuar em frente;

 

* física e mentalmente exaustos para sair da cama. Aqui creio já ser a depressão reclamar espaço. É a fronteira onde ambas se fundem.

 

Para além disto, há quem roa as unhas e dedos até sangrar, bata a perna incessantemente, coma sem parar, beba... Eu perdi a minha concentração e não consigo focar a mente em nada do que faça. Perco linhas de pensamento enquanto falo e digo coisas sem sentido. Tenho péssima memória e sou pouco fluente oralmente porque me falham palavras constantemente.

 

A ansiedde deixa de ser normal quando afecta o nosso dia a dia e o nosso senso comum.

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.